SCBraga 3 - 1 Leixões (Crónica)
Numa altura em que a época se começa a aproximar do final e ainda é matematicamente possível chegar à posição que mais tempo permanecemos ao longo da sessão 2009/2010, todos os jogos são encarados com um misto de sentimentos e sensações inefáveis, deixando de fora na grande parte dos 90 minutos a qualidade de futebol vivenciada outrora e entregando-se de corpo e alma, garra e determinação pela luta ansiosa e desesperada dos 3 pontos finais.
À medida que o calendário avança não se podem esperar brilhantismos nem exibições de encher o olho, mas sim um espírito de união e companheirismo capaz de quebrar barreiras aparentemente inquebráveis. E é assim que se continua a escrever nos pasquins do historial Bracarense os momentos mais felizes, primordiais e inatingíveis por qualquer outra formação que envergou o símbolo do Sporting Clube de Braga ao peito. Esta época, está a assimilar-se o culminar de um trabalho árduo, consistente e sustentado protagonizado pelo António Salvador, atletas, treinadores e essencialmente pela massa associativa que tem dado provas mais do que suficientes da sua irredutibilidade, lealdade e fidelidade.
Nas bancadas compareceram cerca de 15 mil espectadores que se manifestaram, elogiaram, suspiraram, apuparam, mas fizeram a festa à moda Minhota e ovacionaram ensurdecedoramente os Gverreiros do Minho após o apito final do juiz da partida.
Desde cedo o Braga investiu no jogo e colheu frutos. Aos 6 minutos, Alan concretizou com uma soberba chapelada ao guarda-redes Leixonense, após um excelente passe de desmarcação do Andrés Madrid, levando ao rubro as bancadas que aos poucos e poucos ainda se estavam a compor. Mas não ficou por aí. Alan viria a marcar o 2º tento ainda na 1ª parte, desmistificando as dúvidas que muita gente pelo Burgo fora impõe sobre a veracidade da sua qualidade.
Na segunda parte o jogo esmoreceu mas ainda houve tempo para mais 2 golos - um para cada lado. O Leixões reduziu após uma saída em falso do Eduardo e o Moisés ampliou a vantagem (com mais um grande golo), colocando assim justiça no marcador final e sacudindo a pressão do capote para o actual 1º classificado.
Reacções: 
  • PESQUISA

    ARQUIVO

    SEGUIDORES